FDC - FACULDADE
SAFRA PAY
SODEXO CARTÕES
JUSTIÇA

Senadores discutem pedido de impeachment de Toffoli

Janaina lembra que Senado tem ‘dever constitucional’ de apurar suspeitas envolvendo STF

13/08/2019 10h52Atualizado há 4 meses
Por: Silvan Magalhães
Fonte: O Antagonista
79
Janaina Paschoal - Reprodução
Janaina Paschoal - Reprodução

Reunida com um grupo de senadores na manhã de hoje para discutir um dos vários pedidos de impeachment de Dias Toffoli, Janaina Paschoal reforçou a gravidade da decisão do presidente do STF de suspender, monocraticamente no plantão de julho, todos os processos instaurados sem supervisão da Justiça que envolvam dados compartilhados por Coaf e outros órgãos, informa O Antagonista.

“Fiquei indignada com a decisão do ministro de suspender as apurações no país, contrariando todas as jurisprudências da lei”, disse ela, no encontro que ocorreu no gabinete de Lasier Martins (Podemos).

Eles discutem estratégias para fazer avançar no Senado o pedido de impeachment de Dias Toffoli apresentado pela deputada e um grupo de juristas no fim do mês passado.

Janaina fez questão de lembrar que é “atribuição exclusiva e dever constitucional do Senado” exigir a apuração de fatos suspeitos que envolvam ministros do STF.

Pelas normas atuais do Senado, somente o presidente da Casa — no caso, Davi Alcolumbre — pode decidir sobre análise ou não de pedidos de impeachment nesse sentido.

Somente 7 senadores participaram do encontro com Janaina Paschoal, na manhã de hoje, para discutir o pedido de impeachment de Dias Toffoli: Lasier Martins, Alessandro Vieira, Alvaro Dias, Styvenson Valentim, Eduardo Girão, Plínio Valério e Juíza Selma.

No encontro entre Janaina Paschoal e um grupo de senadores, na manhã de hoje, para tratar de pedido de impeachment de Dias Toffoli, o anfitrião Lasier Martins alertou paro o “momento de reação” a tudo aquilo que foi construído até aqui no combate à corrupção no Brasil.

“O Supremo está passando dos limites”, disse o senador.

Janaina Paschoal chamou a atenção para o que chamou de “autoritarismo” do presidente do STF.

A deputada comentou que, quando uma autoridade é criticada ou acusada de algo, geralmente divulga nota explicando a situação ou refutando eventuais ilações infundadas.

“O ministro [Toffoli] não. Surgem notícias e o ministro não se dá sequer ao trabalho de tentar explicar. Ele demoniza quem levanta qualquer situação contra ele e agora passou a usar o próprio poder [para se defender].”

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias